Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

10 empresas emitem 50% do dióxido de carbono global, veja quais

dioxído de carbono
(Foto: Marek Piwnicki/Unsplash)

Um novo estudo realizado pelo InfluenceMap e baseado no banco de dados Carbon Majors revelou que apenas dez empresas, predominantes nos setores de petróleo, gás, carvão e cimento, são responsáveis por mais da metade das emissões globais de dióxido de carbono (CO₂) desde 2016. Este dado alarmante destaca o papel que as grandes corporações desempenham nas mudanças climáticas globais.

Concentração de emissões e responsabilidade corporativa

As empresas identificadas, que incluem grandes nomes como Saudi Aramco, Gazprom e Coal da China, são em grande parte estatais ou grandes corporações multinacionais que dominam a produção de recursos energéticos essenciais. A análise mostra não apenas a concentração de emissões de dióxido de carbono nessas entidades mas também a necessidade urgente de políticas e práticas mais sustentáveis dentro desses gigantes industriais.

 

conteúdo patrocinado

Distribuição geográfica e setorial das emissões

A pesquisa destacou um aumento das emissões entre as empresas estatais, especialmente no setor de carvão na Ásia, onde a industrialização continua a crescer rapidamente. Contrastando com progressos em regiões como Europa e América do Norte, onde há um declínio nas emissões do setor, a Ásia mostra desafios contínuos devido à expansão das indústrias de energia tradicionais.

dioxído de carbono
Somente dez empresas são responsáveis por emitir metade do dioxído de carbono produzido no mundo desde 2016. (Foto: Marcin Jozwiak/Unsplash)

Lista das 10 empresas que mais emitem CO₂

  1. Coal: maior produtora de carvão da China e responsável pela liberação de 72.993 toneladas métricas de dióxido de carbono (25,79% total das emissões globais).
  2. Saudi Aramco: companhia petrolífera da Arábia Saudita e responsável pela liberação de 13.256 toneladas métricas de dióxido de carbono (4,84% total das emissões globais).
  3. Gazprom: empresa russa, maior exportadora de gás natural do mundo e responsável pela liberação de 10.127 toneladas métricas de dióxido de carbono (3,26% total das emissões globais).
  4. Coal Índia: subsidiária da empresa chinesa de carvão que atua no território indiano responsável pela liberação de 8.509 toneladas métricas de dióxido de carbono (3,01% total das emissões globais).
  5. National Iranian Oil Company: Companhia Nacional Iraniana de Petróleo e responsável pela liberação de 8.176 toneladas métricas de dióxido de carbono (2,80% total das emissões globais).
  6. China Cement: maior produtora de cimento da China e responsável pela liberação de 8.155 toneladas métricas de dióxido de carbono (3,21% total das emissões globais).
  7. Rússia: país é responsável pela liberação de 7.174 toneladas métricas de dióxido de carbono (2,53% total das emissões globais).
  8. Rosneft: companhia russa, uma das maiores empresas petrolíferas do mundo e responsável pela liberação de 5.734 toneladas métricas de dióxido de carbono (2,07% total das emissões globais).
  9. China National Petroleum Corporation (CNPC): Corporação Nacional de Petróleo da China é responsável pela liberação de 4.966 toneladas métricas de dióxido de carbono (1,71% total das emissões globais).
  10. Abu Dhabi National Oil Company: Empresa Nacional de Petróleo de Abu Dhabi é responsável pela liberação de 4.746 toneladas métricas de dióxido de carbono (1,70% total das emissões globais).

Desafios e caminhos para a sustentabilidade

O relatório não só identifica os maiores poluidores mas também chama a atenção para a importância de transformações no setor de energia. Tzeporah Berman, presidente do Tratado de Não-Proliferação de Combustíveis Fósseis, criticou as práticas dessas empresas que, apesar de reconhecerem a necessidade de soluções sustentáveis, continuam a investir na extração de combustíveis fósseis.

A pesquisa da Carbon Majors nos mostra exatamente quem é o responsável pelo calor letal, clima extremo e poluição do ar que está ameaçando vidas e causando estragos em nossos oceanos e florestas. Essas empresas lucraram bilhões de dólares, negando o problema e atrasando e obstruindo a política climática. Elas estão gastando milhões em campanhas publicitárias sobre ser parte de uma solução sustentável, ao mesmo tempo em que continuam investindo em mais extração de combustíveis fósseis.” disse o presidente.

Emissão de CO₂ bate recorde em 2023

A emissão global de dióxido de carbono  vinculadas à produção de energia alcançaram um novo pico em 2023, com um aumento de 1,1% em comparação ao ano anterior, totalizando 37,4 bilhões de toneladas. A Agência Internacional de Energia (AIE) revelou que a principal causa desse aumento foi a redução na produção hidrelétrica, provocada por secas severas em várias partes do mundo, forçando países como China, Canadá e México a recorrerem a fontes de energia mais poluentes.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado