Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Tesla diminuiu os preços nos EUA, na China e na Alemanha

Tesla
(Imagem: Unsplash)

No meio de um cenário de vendas em declínio e concorrência acirrada nos principais mercados, a Tesla tomou medidas drásticas ao cortar agressivamente os preços na China e na Alemanha, seguindo uma recente redução nos Estados Unidos.

No domingo, a fabricante de veículos elétricos anunciou cortes nos preços de quatro modelos na China continental, o maior mercado externo. O Modelo Y, o modelo mais vendido da Tesla no país, agora está disponível a partir de 249.900 yuans (US$ 34.502). O preço mais baixo já registrado para o veículo.

Na Alemanha, principal mercado da Tesla na Europa, o preço do Modelo 3 com tração traseira também foi reduzido, passando para 40.990 euros (43.707 dólares), conforme divulgado no site oficial.

conteúdo patrocinado

Os anúncios seguem os cortes de preços realizados nos EUA na sexta-feira, onde três dos cinco modelos da Tesla tiveram reduções de US$ 2.000 cada, mantendo o Modelo 3 e o Cybertruck sem alterações nos valores.

A Tesla enfrenta um momento desafiador, com as ações registrando uma queda de mais de 40% no acumulado do ano. A queda veio após a empresa relatar uma diminuição nas entregas trimestrais pela primeira vez em quase quatro anos, além de anunciar cortes de empregos equivalentes a mais de 10% do pessoal global.

No sábado, o CEO Elon Musk anunciou o adiamento da viagem planejada à Índia, citando obrigações “muito pesadas” na empresa. A visita estava programada para incluir um encontro com o primeiro-ministro Narendra Modi e a confirmação da construção de uma fábrica no país.

Impactos

Na China, o maior mercado de veículos elétricos do mundo, espera-se que os cortes de preços da Tesla intensifiquem uma guerra de preços já existente em um setor altamente competitivo.

A Li Auto, fabricante chinesa de veículos elétricos, liderada pelo empresário bilionário Li Xiang, respondeu aos cortes anunciando reduções de preços em todos os quatro modelos. Seu Li Mega, proclamado como o maior veículo elétrico de passageiros do mundo, agora está disponível por 30.000 yuans (US$ 4.142) mais barato.

A Tesla, que já enfrentava uma forte concorrência, foi temporariamente superada pela chinesa BYD como a marca de veículos elétricos mais vendida do mundo no último trimestre do ano anterior. Os carros da BYD são mais acessíveis em comparação com os da Tesla, com o modelo básico sendo vendido na China por menos de US$ 10 mil, em contraste com os 231.900 yuans (32.017 dólares) do Modelo 3 da Tesla após o recente corte de preços.

A guerra de preços no mercado de veículos elétricos na China iniciou em outubro de 2022, quando a Tesla cortou os preços para estimular as vendas em meio a uma economia desacelerada. Desde então, mais de 30 grandes fabricantes automotivos, incluindo fabricantes de veículos a gasolina, seguiram o exemplo, afetando as margens de lucro de toda a indústria.

Recentemente, a XPeng, fabricante chinesa de veículos elétricos, anunciou subsídios de 500 milhões de yuans (US$ 69 milhões) para compradores de quatro modelos, enquanto a BYD reduziu os preços do hatchback Seagull em 5%, para 69.800 yuans (US$ 9.670). Além disso, em março, a Xiaomi, conhecida pelos smartphones, lançou o sedã SU7 para competir diretamente com a Tesla neste mercado em constante evolução.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado