Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Nova presidente da Petrobras ganhará mais que Lula; saiba o valor

Magda Chambriard presidente da Petrobras
(Foto: Reprodução/Alerj).

Magda Chambriard, engenheira com vasta experiência no setor de energia e petróleo, foi nomeada a nova presidente da Petrobras, após a saída de Jean Paul Prates. Ela assume o cargo com uma remuneração mensal de R$ 130 mil e bônus anuais que podem chegar a R$ 1,4 milhão. Esse valor supera a soma das remunerações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ministro da Casa Civil, Rui Costa, que recebem R$ 44.008,52 cada, conforme o Portal da Transparência.

Magda Chambriard retorna à Petrobras onde já serviu por 22 anos como funcionária de carreira. Antes de ser indicada para a presidência, ela operava sua própria consultoria, Chambriard Engenharia e Energia, e trabalhava na Assessoria Fiscal da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro desde 2021. Durante o governo de Dilma Rousseff, de 2012 a 2016, Chambriard foi diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), onde ganhava um salário mensal de R$ 12.388.

 

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

Contexto da nomeação

A nomeação de Chambriard segue a recente decisão do Conselho de Administração da Petrobras de não distribuir R$ 43,9 bilhões em dividendos extras, o que provocou uma forte queda nas ações da estatal e culminou na demissão de Jean Paul Prates. Na terça-feira (14) Prates deixou o cargo, após uma gestão marcada por debates intensos sobre a distribuição de lucros.

Qual foi o salário inicial de Jean Paul Prates?

Quando Jean Paul Prates foi aprovado pelo Departamento de Compliance da Petrobras para assumir a presidência da estatal, recebeu uma remuneração mensal inicial de R$ 116,7 mil, totalizando uma média anual de aproximadamente R$ 1,4 milhão. Esse pacote incluía benefícios como o 13º salário, gratificações natalina e de férias, além de plano de saúde e outros adicionais.

Sua chegada à presidência ocorreu logo após o governo de Jair Bolsonaro, com Caio Paes de Andrade deixando o cargo. A escolha de Jean foi parte de uma estratégia mais ampla do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, visando fortalecer a gestão da Petrobras com lideranças alinhadas às novas diretrizes políticas e econômicas do governo. Jean, que já tinha uma carreira consolidada no setor de Minas e Energia e era um defensor ativo de práticas sustentáveis e políticas de transição energética, foi bem recebido por entidades do setor, incluindo a Federação Única dos Petroleiros.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado