Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Guido Mantega no conselho da Braskem? Mercado reage mal

Ex-ministro é sondado pelo governo

Possibilidade de Guido Mantega na Braskem reverbera negativamente. (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)
Possibilidade de Guido Mantega na Braskem reverbera negativamente. (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

Na última segunda (3), Guido Mantega afirmou em entrevista ao Bloomberg que foi sondado pela Casa Civil para um assento no conselho da Braskem. Entretanto, após a notícia, as ações da Braskem fecharam em queda de 1,43%. O ex-ministro confirmou a sondagem para integrar o conselho da petroquímica, dependendo da aprovação dos acionistas.

Nesse sentido, o mercado reagiu negativamente à possibilidade de Mantega no conselho. As ações da Braskem, que já iniciaram o pregão em queda, ampliaram as perdas após a divulgação da entrevista. Os papéis, por fim, encerraram o dia a R$ 18,66.

Histórico de tentativas

Todavia, antes da Braskem, Lula tentou nomear Mantega como presidente da Vale. A tentativa, de tal maneira, gerou críticas entre investidores e na alta cúpula da empresa. Mantega, de 75 anos, foi ministro da Fazenda nos governos de Lula e Dilma Rousseff.

Publicidade

Guido Mantega na Braskem? Veja perfil do economista

Guido Mantega é economista e nasceu na Itália. Naturalizado brasileiro, ocupou diversos cargos econômicos no governo federal, incluindo o de Ministro da Fazenda e Presidente do BNDES. É professor da Fundação Getúlio Vargas e autor de livros sobre economia.

Durante a administração da prefeita Luiza Erundina (1989-1992) em São Paulo, Mantega foi Diretor de Orçamento e Chefe de Gabinete na Secretaria Municipal de Planejamento. Ele também atuou como assessor econômico do então candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva a partir de 1993.

Com a eleição de Lula, Mantega assumiu a pasta do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, sendo posteriormente transferido para a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) após a renúncia de Carlos Lessa.

Além disso, Mantega foi confirmado como Ministro da Fazenda no governo de Dilma Rousseff. Adotou a chamada “nova matriz econômica”, que incluía corte de impostos, redução da tarifa de energia e controle dos preços dos combustíveis. Essas medidas foram criticadas por alguns economistas como causas da crise econômica de 2014.

Leia também:

Novela Braskem

Por outro lado, a Braskem enfrenta uma situação complexa quanto ao controle da empresa. A Novonor, ex-Odebrecht, busca vender sua participação de 50%. A Petrobras, sócia minoritária com 47%, pode ser uma compradora, conforme apontam algumas alas do governo.

Declarações econômicas

Na entrevista, Mantega criticou a política monetária do Banco Central sob a liderança de Roberto Campos Neto, chamando-a de “irracional”. Além disso, o economista concorda com Fernando Haddad que a meta de inflação de 3% é exigente e espera mudanças no Copom com os novos nomeados por Lula.

Comunicado da Petrobras

No início do mês passado, a Petrobras afirmou que não há decisão sobre a compra das ações da Braskem, mas que está realizando uma auditoria prévia. Isso é uma medida de proteção aos acionistas minoritários em caso de venda de controle.

Motivações para a nomeação

Lula quer recompensar Mantega, que considera injustiçado pela Lava Jato. A nomeação também visa aumentar a influência do governo nas decisões da Braskem.

Por fim, Mantega comentou sobre os desafios políticos de Lula, que enfrenta mais poder do Congresso. Isso o obriga a aceitar decisões que não gostaria, aumentando sua ansiedade.

Leia também:

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado