Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Crescimento nas exportações brasileiras de carne bovina para a China em maio, mas embargo persiste

(Foto: Mali maeder/Pexels)

Em um contexto de exportações brasileiras de carne bovina para a China , destaca-se o crescimento expressivo em maio, com um aumento de 16,5% em comparação ao mesmo mês do ano anterior, alcançando 112,3 mil toneladas. Esse aumento notável é ainda mais impressionante quando consideramos que os embarques mais que dobraram em comparação com abril, conforme divulgado pela Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo).

Apesar do progresso, a queda de 13,3% nas remessas totais para a China nos primeiros cinco meses de 2023, chegando a 381,4 mil toneladas, nos mostra uma imagem mais completa. Esse declínio pode ser atribuído parcialmente ao embargo temporário, que durou cerca de um mês entre fevereiro e março, devido à descoberta de um caso atípico de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) no Brasil.

Com o embargo já suspenso em abril, a recuperação das exportações brasileiras de carne bovina para a China ainda é um processo em curso, com apenas 41 mil toneladas enviadas em maio. A incerteza sobre as cargas certificadas para exportação antes do embargo, que enfrentaram entraves na admissão ao mercado chinês, está na raiz dessa recuperação lenta.

Publicidade

Os esforços para resolver essa questão incluíram até mesmo uma comunicação entre os presidentes dos dois países. Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, afirmou que cerca de 70 mil toneladas de carne estavam retidas nos portos chineses, sem uma solução clara à vista. O Brasil alega que a carne certificada antes do embargo não deveria ser afetada.

Mesmo com esses desafios, as exportações totais de carne bovina do Brasil em maio chegaram a 200.849 toneladas, um aumento em relação às 180.387 toneladas do mesmo mês do ano anterior. Esse crescimento foi impulsionado principalmente pelos embarques para a China. No entanto, houve uma queda no preço da carne exportada, maior que 20%, resultando em um faturamento reduzido para US$ 965,2 milhões.

No acumulado do ano, as exportações totais de carne bovina geraram uma receita de US$ 3,85 bilhões, representando quedas de 24% na receita e 8% no volume em comparação ao mesmo período do ano passado. Essa tendência reflete os efeitos do comércio com a China.

No panorama internacional, os Estados Unidos continuam sendo o segundo maior comprador de carne bovina brasileira, com 93.307 toneladas compradas nos primeiros cinco meses deste ano, um aumento de 3% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Confira AQUI que o preços da carne bovina mostram alívio para os consumidores brasileiros em 2023.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado