Semana começa com baixas no mercado financeiro

mercado financeiro hoje
(Foto: David McBee/Pexels)

No mercado financeiro nesta segunda-feira (29), o Dólar Comercial registrou alta de 0,71%, sendo negociado a R$ 4,945. O Euro também teve valorização, subindo 0,39% para R$ 5,353. Já o Dólar Turismo apresentou aumento de 0,86%, alcançando R$ 5,156. A Libra teve crescimento de 0,64%, cotada a R$ 6,286, enquanto o Peso Argentino registrou uma leve alta de 0,25%, estando a R$ 0,006. O Bitcoin teve uma valorizaçãode 5,4%, atingindo R$ 207.470,062.

O Ibovespa registrou uma queda de 0,36%, fechando a 128.502,66 pontos, após oscilar entre a máxima de 129.068,28 pontos e a mínima de 127.852,82 pontos durante o dia. As ações da Gol (GOLL4) lideraram as perdas no índice, com uma desvalorização superior a 30%, em meio às atenções dos investidores voltadas para o processo de recuperação judicial da empresa nos Estados Unidos. A semana também é marcada pela expectativa em torno das decisões de política monetária nos Estados Unidos e no Brasil, previstas para quarta-feira, e pela divulgação de importantes dados econômicos, incluindo estatísticas do mercado de trabalho norte-americano, fatores que reforçaram a postura cautelosa do mercado.

Confira a movimentação no mercado de ações:

+Altas:

  • Assaí (ASAI3.SA): +4,78%, fechando a R$ 14,46.
  • Hypera Pharma (HYPE3.SA): +2,8%, fechando a R$ 31,95.
  • Raízen (RAIZ4.SA): +1,87%, fechando a R$ 3,81.
  • TOTVS (TOTS3.SA): +1,78%, fechando a R$ 31,43.
  • Petrobras (PETR4.SA): +1,53%, fechando a R$ 40,57.

+Baixas:

  • Gol Linhas Aéreas (GOLL4.SA): -33,61%, fechando a R$ 3,93.
  • Qualicorp (QUAL3.SA): -5,31%, fechando a R$ 2,32.
  • Casas Bahia (BHIA3.SA): -4,71%, fechando a R$ 8,29.
  • Suzano Papel e Celulose (SUZB3.SA): -3,99%, fechando a R$ 50,80.
  • CVC Brasil (CVCB3.SA): -3,26%, fechando a R$ 2,97.

Falência da Evergrande, gigante imobiliária chinesa, é decretada

Um tribunal de Hong Kong determinou a falência do Grupo Evergrande, reconhecido como o mais endividado do setor imobiliário mundial. Conforme reportado pela imprensa chinesa nesta segunda-feira (29/01). Essa decisão vem na esteira da incapacidade da gigante do ramo imobiliário na China e de seus credores internacionais de negociarem um plano para reestruturar seu endividamento.

MacKenzie Scott, ex de Bezos, vende bilhões em ações da Amazon

MacKenzie Scott, ex-esposa de Jeff Bezos, fundador da Amazon, tem feito manchetes por suas significativas vendas de ações da Amazon e suas ações filantrópicas. Desde o divórcio com Bezos em 2019, que a tornou a mulher mais rica do mundo com cerca de 19,7 milhões de ações da Amazon (4% do total em circulação), Scott tem estado ativa no desinvestimento de suas ações e na doação para caridade.

Embraer divulga projeções de receita e entregas recordes

A divulgação do Boletim Focus pelo Banco Central, inicialmente prevista para esta segunda-feira, foi postergada devido à greve dos servidores da instituição. A nova data anunciada para a publicação dos indicadores é terça-feira, às 8h30. A greve, que iniciou com uma paralisação de 24 horas no dia 11 de janeiro, seguida de uma operação padrão, decorre de reivindicações dos servidores por ajustes salariais e reformulações na estrutura de carreira. As demandas incluem a equiparação salarial com outras carreiras do setor público, reajustes nas tabelas remuneratórias e alterações nos critérios de progressão.

Mercado de aço: Brasil em alerta com exportações da China

O mercado siderúrgico global vive um momento de incertezas. A China, gigante na produção de aço, mantém seu ritmo acelerado de exportações. Isso gera preocupações especialmente no Brasil, onde a indústria local se vê ameaçada pela crescente entrada de produtos chineses. Em 2023, a China exportou 90 milhões de toneladas de aço, com o Brasil sendo o sétimo maior destino. Mais de 2,5 milhões de toneladas de aços laminados chineses entraram no mercado brasileiro, impactando diretamente produtores locais como CSN, Usiminas e Gerdau. A situação se agrava com a possibilidade de mais paralisações de alto-fornos, como anunciou a Usiminas, que já paralisou um equipamento em dezembro.

Carnaval 2024: projeção de R$ 9 bilhões em faturamento

O Carnaval de 2024 promete ser um marco na economia brasileira. Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a festa deve movimentar cerca de R$ 9 bilhões, superando em 10% os números do ano passado. Este crescimento marca a primeira vez que o faturamento do evento ultrapassa os valores pré-pandemia. Segundo a Agência Brasil, a CNC destaca a recuperação consistente do turismo nos últimos quatro anos. Roberto Tadros, presidente da entidade, aponta que o Carnaval tem papel crucial nessa retomada. A festa impulsiona não apenas o setor turístico, mas a economia de forma ampla.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado